música

             2012

EP - Andréa  Manoel

ANDRÉA MANOEL - EP

 

 PRODUZIDA ENTRE OS ANOS DE 2006/2007

 

 

PRODUÇÃO, GRAVAÇÃO, COMPOSIÇÕES,

PIANO E PROGRAMAÇÕES,  ARTE E FOTOGRAFIA: ANDRÉA MANOEL

 

 

O EP "Andréa Manoel" foi gravado entre os anos de 2006/2007, pela própria Andréa, em sua casa. As composições presentes no EP são de sua autoria. É ela também quem toca os instrumentos, como ela mesma conta...

"As composições do EP nasceram um ano antes da minha entrada na universidade. Foi durante a minha passagem por um conservatório de música para estudar piano clássico. Fiquei muito inspirada com a música erudita, mas só comecei a gravá-las quando estava tendo os meus primeiros contatos com programas de gravação, já na faculdade de música. Era um momento em que eu ainda não havia assumido o meu lado cantora , entretanto, me considerava uma convicta compositora. Sempre gostei muito de música instrumental, daí o EP se inserir exclusivamente nesse contexto. São duas composições tocadas ao piano e a outra é um coro a três vozes, cujo arranjo eu fiz durante as aulas de harmonia na faculdade de música. As músicas estão bem cruas. Não utilizei metrônomo, gravei ao vivo. Queria que ficasse o mais real possível. Não é um trabalho onde foram utilizadas tecnologias de correção, afinação, compressão ou algo parecido. Tudo é muito simples, o meu jeito de tocar, as harmonias e suas estruturas... Não me preocupei com muitos detalhes, pois eu não tinha a intenção de fazer junção das músicas gravadas e torná-las um EP, e sempre tento deixar bem claro que não se trata de uma parada profissional. O meu objetivo era apenas fazer o registro de algumas das minhas composições para, no máximo, mostrá-las a alguns colegas do meio musical. Hoje, alguns anos depois, resolvi compartilhá-las com mais pessoas, pois entendo que, apesar da gravação simples, o EP tem muito a dizer. Ele retrata um período da minha vida de intensa aprendizagem musical. Não se trata de algo cujo foco é a "técnica", trata-se de uma obra simples e subjetiva.... 

Consigo visualizar no EP a minha essência, em cada música, tanto que, para mim, todos os problemas técnicos conseguem ser superados pelos sentimentos que cada música possui. É que, apesar da simplicidade, acabei entendendo que nunca, mesmo depois de muito ensaio, eu conseguirei tocar essas músicas da mesma forma... parece óbvio, mas levei um tempo para internalizar esse pensamento. Acabei entendendo que isso acontece porque as músicas contidas no EP têm uma vibe só minha, representando o meu momento, uma energia que ficou lá no passado... Por isso o EP é auto-intitulado... Ele é a imagem pretérita da Andréa Manoel... E isso pra mim é o mais importante no conjunto dessa obra."

 

AGRADECIMENTOS:

Obrigada aos meus pais queridos, aos professores e professoras de música Simone Sousa, Vitor Duarte, Tarcísio José de Lima, Valéria Vieira, Luiz Botelho, Elvis Matos, Gerardo Viana Júnior, Erwin Schrader, Ana Cléria, Consiglia Latorre e ao amigo Jorjão Santa Rosa. Grata a todos vocês, pela imensurável contribuição musical.

_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

 

                 2019

Poética.Telúrica.Concreta

Em seu primeiro álbum "Poética.Telúrica.Concreta , Andréa faz reflexões sobre o sertanejo e suas lutas, em paralelo com as lutas dos habitantes das cidades grandes, levando a um ponto em comum, a reflexão sobre as máquinas mantenedoras do poder. Contendo treze faixas de sua autoria, produzido por ela mesma, Ivan Timbó(Sepassando.Rec), Carlos Gadelha(Jardim das Horas) e Roque Ney Mota, e que levou três anos para ser concluído, em seu primeiro álbum, ela mostra as disparidades e encontros entre cidade e sertão, como dois ambientes de resistência. De um lado a poeira, a aridez, os grandes campos abertos com arvores que parecem mortas por causa das grandes secas, e de outro, o concreto, os arranha-céus, a multidão frenética por causa da correria dos grandes centros.

O álbum possui duas versões, a primeira e a que Andréa declara como sendo a oficial, onde não há intervalo entre as faixas, ou seja, o álbum inteiro é uma faixa única, com todas as música ligadas por sinapses sonoras eletrônicas(essa versão está disponível apenas no seu canal no Youtube, como full album em audiovídeo, e também em seu SoundCloud). A segunda versão, com intervalos entre as músicas, está disponíveis em todas as demais plataformas de streaming.

Mais uma das qualidades do seu primeiro álbum, além do time da produção musical, são as participações especiais nos instrumentais, entre eles Oscar Arruda, Cid, Emmanuel Braga Jr.(Descendentes da Índia Piaba), Ednar Pinho(Argonautas), Carlinhos Maia e Romualdo  Bass(Renegados).

Ficha técnica...

 

Música: Andréa Manoel

Voz e coros: Andréa Manoel e Cid em “Flor do Cactus”

Sampler: Ivan Timbó

Efeitos sonoros e sintetizadores: Ivan Timbó, Carlos Gadelha, Roque Ney Mota e Andréa Manoel em “Ave Poesia”

Guitarra: Ivan Timbó, Carlos Gadelha, Oscar Arruda em “Bendito” e Carlinhos Maya em “Ave Poesia”

Baixo: Ivan Timbó e Romualdo Filho em “Bendito”

Baixo acústico: Ednar Pinho em “Gavião”

Triângulo, zabumba e pandeiro: Emmanuel Braga Jr. em “Prelúdio Zabumba” e “Ela.Ser”

Bateria: Roque Ney Mota

 

Pré-Produção: Ivan Timbó e Andréa Manoel

Produção musical: Ivan Timbó, Carlos Gadelha, Andréa Manoel e Roque Ney Mota

Captação de áudio e edição musical: Ivan Timbó ”Sepassando.rec“, Roque Ney Mota “Casa de Ensaio Áudio e Vídeo” e Carlos Gadelha

Mixagem e masterização: Carlos Gadelha

Projeto gráfico: Andréa Manoel e Peterson Queiroz

Fotografia: Deyse Peixoto

Edição de imagens: Andréa Manoel

 

Selo: SEPASSANDO.rec

Distribuição: Tratore

______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

                 2020 - EP PRELÚDIO

        PRELÚDIO # 1 - "A BELEZA DA ROSA"

 

 

 

 

 

 

 

 

A Beleza da Rosa é uma composição de Pedro Antônio Ferreira(Pedrinho) e Hélio Villar(Helvilar), conhecida, na década de 70, através da voz do, saudoso cantor, José Ribeiro. Foi uma das joias que Andréa Manoel garimpou para o repertório do seu segundo EP, "Prelúdio", cujas faixas remetem às raízes da música brasileira, e onde esta é a primeira faixa a ser lançada, como single. O EP será lançado, na integra, em breve, e esta faixa é o prelúdio nº 1 do EP.  Para Andréa, esta é mais que uma obra de arte musical, é um resgate afetivo. "Lembro da minha infância, meu pai escutando o vinil, na radiola da sala, enquanto eu soletrava a ficha técnica, na contracapa do disco,  sem compreender muito bem os escritos, apaixonada por aquela arte... Aquela música me tocava, profundamente, tinha um pesar, uma melancolia que me atraía, um drama apaixonante, uma beleza pesarosa. Mesmo sem compreender aquele lamento, eu amava tudo aquilo" - conta ela. O EP foi produzido por Caio Castelo, que se reveza entre violões, baixo, backings e percussões, tem Clau Aniz no clarinete e Artur Guidugli nas percussões. O trabalho é uma viagem à música antiga brasileira, com o frescor da atualidade.

FICHA TECNICA

Música: Pedro Antonio Ferreira(Pedrinho) e Helio Villar(Helvilar)

Voz e coro - Andréa Manoel

Pré-Produção: Andréa Manoel e Caio Castelo

Produção musical, Violão nylon, violão aço, baixo e percussão: Caio Castelo

Percussões: Artur Guidugli Clarinete:

Clau Aniz

Mixagem e masterização - Caio Castelo

Distribuição: Tratore

                 

EP "PRELÚDIO  - 2021

O EP, "Prelúdio", da cantora e compositora, Andréa Manoel, é uma viagem a tempos antigos da música brasileira. As três faixas, que simbolizam os prelúdios Nº 1, Nº 2 e Nº 3, respectivamente, remetem às raízes da música brasileira, e onde a primeira faixa, “A Beleza da Rosa”, foi lançada como single, em novembro de 2020. O EP “Prelúdio”, como o próprio nome sugere, é um prefácio, uma abertura para estética sonora que Andréa Manoel vem pesquisando para os seus próximos trabalhos. O EP, na integra,  vem como uma obra de arte musical, um resgate afetivo para Andréa. São releituras de composições conhecidas nas vozes de Nelson Cavaquinho e José Ribeiro, no piano de Ary Barroso e voz de Dorival Caymmi, com o frescor da atualidade. Quem assina a produção, mais instrumentais como violão, baixo e backing vocals, é o músico e produtor musical Caio Castelo, o clarinete ficou a cargo de Clau Aniz, o violino por Diego Nery, baixo acústico por Ednar Pinho, xilofone por André Benedecti e percussão mais backing vocals por Artur Guidugli. Com arranjos dramáticos, que remetem ao chorinho, bolero, jazz e samba, as músicas presentes no EP, “Prelúdio”, são um convite à musica orgânica, essencialmente nostálgica e poética de outros tempos, com a “cremosidade” de tempo atuais.

Ficha Técnica e minutagem:

 

#1 - "A BELEZA DA ROSA" : 00:00

Composição: Pedrinho e Elvilar

Pré-Produção: Andréa Manoel e Caio Castelo

Produção + violão + baixo + percussão: Caio Castelo

Voz e coros: Andréa Manoel

Clarinete: Clau Aniz

Percussões: Artur Guidugli

#2 - "JUÍZO FINAL" : 3:39

Composição: Nelson Cavaquinho e Elcio Soares

Pré-Produção: Andréa Manoel e Caio Castelo

Produção + baixo + violão: Caio Castelo

Voz e coros femininos: Andréa Manoel

Coros masculinos: Caio Castelo e Artur Guidugli

Violino: Diego Nery

Percussões: Artur Guidugli

 

#3 - "RISQUE" : 6:47

Composição: Ary Barroso

Pré-Produção: Andréa Manoel e Caio Castelo

Produção + violão: Caio Castelo

Voz e coros femininos: Andréa Manoel

Coros masculinos: Caio Castelo

Baixo acústico: Ednar Pinho

Xilofone: Andre Benedecti

Bateria + percussões: Artur Guidugli

© 2023 by THE NIGHTCLUB